Diretores podem solicitar remanejamento e reserva técnica de livros para as escolas

Está aberto, até o dia 13 de abril, o sistema para remanejamento de livros didáticos e solicitação da reserva técnica para aquisição de novos exemplares para as unidades escolares. O remanejamento é destinado à troca de livro entre escolas, buscando equilibrar as quantidades disponibilizadas para cada uma. A solicitação técnica apenas deve ser feita quando o remanejamento de livros não for suficiente, analisado a quantidade real de estudantes e as quantidades de livros disponíveis por escola. O sistema pode ser acessado no endereço pdeinterativo.mec.gov.br.

A coordenadora de Livros Didáticos e Biblioteca da Secretaria da Educação do Estado, Alessandra Santana, fala sobre a importância do processo. “Os gestores devem ficar alertas, pois para demandar livros na Reserva Técnica é necessário ofertar algum livro na aba de ‘Remanejamento de Livros’. Cada rede de ensino tem à sua disposição livros para atender até 3% da projeção de matrículas deste ano. Por isso, o pedido tem que ser de acordo com a real necessidade de livros apenas para o ano de 2018”, afirmou.

O objetivo do Sistema de Remanejamento é auxiliar os sistemas de ensino estaduais, municipais e do Distrito Federal na realização das trocas de livro entre escolas, buscando equilibrar as quantidades disponibilizadas a cada uma. Caso o remanejamento não tenha suprido a demanda de livros das escolas, é possível solicitar a reserva técnica pelo mesmo sistema

Todas as orientações quanto à execução do PNLD em seu âmbito de gestão e, mais especificamente, quanto à utilização do sistema, estão disponíveis no portal do FNDE, em www.fnde.gov.br >> Programas > Programas do Livro > Livro didático > Apoio à Gestão.

Entrega de livros didaticos no Mestre Paulo dos Anjos (28)- b(1)

Fotos: ilustração/ Claudionor Junior

Estão abertas as inscrições para o Prêmio Respostas para o Amanhã

Estão abertas, até o dia 25 de junho, as inscrições para a 5ª e dição do Prêmio Respostas para o Amanhã. O prêmio é voltado para professores e alunos  do Ensino Médio de escolas públicas de todo o Brasil, com o intuito de integrar conhecimentos de disciplinas como Ciências, Matemática, Física e Biologia aos projetos inovadores em prol da sociedade e de suas comunidades. As inscrições devem ser feitas pelo site: https://respostasparaoamanha.com.br/

A iniciativa é realizada desde 2014 pela Samsung, com coordenação geral do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (CENPEC)  em vários países da América Latina. O prêmio já mobilizou mais de 106 mil estudantes, 7.300 professores de cerca de 3.321 escolas de todo o Brasil. Em 2017, dois projetos da rede estadual ficaram entre os 25 projetos vencedores regionais: o “Bioplástico da Banana Verde”, desenvolvido no Colégio Modelo Luís Eduardo Magalhães, em Itabuna, e o “Biosala: sala de Artes, Sala da Vida”, do Colégio Estadual Alaor Coutinho, em Mata de São João.Post RPA Inscricoes

O principal objetivo do Prêmio é fazer com que os alunos, orientados por seus professores e em colaboração com seus colegas de turma, conheçam e identifiquem os problemas na comunidade para desenvolverem um projeto que contribua com uma solução simples e sustentável, melhorando o lugar onde vivem. Para os alunos, o Prêmio Respostas para o Amanhã é uma oportunidade de aplicar na prática todo o conhecimento trabalhado em sala de aula. Já para o professor, é uma chance para engajar e despertar no jovem o pensamento crítico e o protagonismo, lançando mão de novas formas de ensinar.

Em 2018, o Prêmio permanece com 25 projetos selecionados na fase inicial, a seleção regional. A segunda etapa é voltada a votação online aberta ao público, o Júri Popular, e a terceira, à seleção nacional pela banca julgadora. Os projetos serão pelos alunos com o auxílio de até três professores, sendo o professor coordenador obrigatoriamente da área das Ciências da Natureza ou da Matemática e disciplinas correlatas. Os grupos terão a seu dispor conteúdos como textos e vídeos educacionais, disponíveis no site do Respostas para o Amanhã, que abordam temas atuais e relevantes para a formação dos alunos.

A proposta pedagógica do Prêmio enfatiza a importância da temática da sustentabilidade na escola; o desenvolvimento da pesquisa no campo científico, articulando os conteúdos curriculares com as questões cotidianas; o engajamento das turmas em sua totalidade, valorizando o trabalho colaborativo e em coautoria com toda a classe e articulando escola e comunidade. Conforme a etapa de seleção, alunos, professores, diretores e escola são premiados.

Fonte: Ascom Cenpec

Comunidade escolar de Santo Antônio de Jesus participa de atividades sobre a Base Nacional Comum Curricular

Como parte da escuta para a construção da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e do Currículo Bahia, técnicos da Secretaria da Educação do Estado estão promovendo o projeto ‘Faz Sentido’, nos Territórios de Identidade da Bahia. Nesta semana, a iniciativa mobilizou a comunidade escolar do Colégio Estadual Francisco da Conceição Menezes, em Santo Antônio de Jesus (a 190 km de Salvador), na Região Metropolitana.

A ação acontece por meio de rodas de diálogo com os agentes de Educação nos municípios sedes dos Núcleos Territoriais de Educação (NTE). O objetivo é a escuta dos estudantes, professores, das famílias, da comunidade e dos gestores escolares sobre a escola e o que buscam para a Educação. A diretora de Educação e suas Modalidades da Secretaria da Educação do Estado, Thamires Vasconcelos, falou sobre a metodologia do trabalho. “Dividimos esta fase em blocos, quando conversamos sobre questões que vão desde a estrutura física até as relações no ambiente escolar, passando pela aprendizagem, onde discutimos sobre a necessidade de abordar questões como gênero, diversidade, inclusão social e acessibilidade. Também falamos sobre os sentidos e emoções e questões extramuros”, relatou.

De acordo com a diretora da unidade, Joelma Nunes, a atividade contribuiu para o planejamento das atividades na escola.  “Conversamos sobre o nosso cotidiano escolar, a estrutura da unidade e os métodos pedagógicos que são utilizados para a formação cidadã dos nossos estudantes”, pontuou. O estudante Antônio Cleisson Almeida, 18, 2º ano, também falou sobre a oportunidade do diálogo. “Foi uma bela oportunidade de falar sobre meu ponto de vista em relação ao ambiente escolar e da minha relação com colegas e professores”, afirmou.

WhatsApp Image 2018-03-23 at 13.25.00

Fotos: Divulgação

Gestores devem registrar dados de frequência escolar para o Programa Bolsa Família

A Secretaria da Educação do Estado está divulgando o Calendário de Acompanhamento da Condicionalidade da Educação do Bolsa Família 2018, com as datas para que os gestores escolares possam coletar e registrar a frequência escolar no programa. Um dos objetivos destas condicionalidades ou compromissos assumidos pelas famílias beneficiárias é reforçar o acesso à Educação, contribuindo para garantir a inclusão educacional de crianças e adolescentes, além de identificar possíveis situação de descumprimento, como é o caso de estudantes com baixa frequência escolar, para que o poder público possa adotar medidas para auxiliar e acompanhar estas famílias.

O acompanhamento da frequência escolar é realizado ao longo de cinco períodos do ano e os profissionais da Educação fazem a coleta das informações e o registro da frequência por meio do Sistema de Acompanhamento da Frequência Escolar do Bolsa Família, o Sistema Presença. Essas informações serão estratégicas para o fortalecimento da política educacional.

A superintendente da Informação Educacional da Secretaria da Educação do Estado, Cristiane Ferreira, fala sobre a importância do acompanhamento das condicionalidades da Educação para o Bolsa Família. “A Educação tem um papel estratégico visto que tem por atribuição não só a garantia do acesso, mas também o acompanhamento contínuo da permanência, aprendizagem e frequência dos estudantes com a identificação do núcleo familiar e do Território de Identidade onde estão localizados”, afirmou.

Para o acompanhamento das condicionalidades de Educação, a Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão (Secadi/MEC) conta com a Central de Atendimento aos Coordenadores da Educação no Programa Bolsa Família, que pode ser acessada pelo telefone: (61) 2022- 9171 ou por e-mail: frequenciaescolar@mec.gov.br

Acesse o Calendário de Acompanhamento da Condicionalidade da Educação do Bolsa Família 2018 no Portal da Educação:

http://www.educacao.ba.gov.br/midias/documentos/calendario-do-acompanhamento-da-condicionalidade-da-educacao-do-bolsa-familia-2018

Estudantes de Cruz das Almas apresentam projetos e alertam sobre a necessidade da conservação dos recursos hídricos

Para celebra o Dia Mundial da Água, comemorado nesta quinta-feira (22/03), estudantes de escolas estaduais estão realizando projetos que promovem a conscientização para o uso sustentável dos recursos hídricos. Durante toda a semana e, especialmente nesta quinta-feira, a comunidade escolar foi mobilizada em torno de diferentes atividades como rodas de conversa, palestras, mostra de vídeos e até caminhadas no entorno da escola, para chamar a atenção sobre os cuidados que todos precisam ter visando a conservação deste bem escasso e de uso comum de todos.

Dia Mundial da Água 2018 - Colégio Estadual Eraldo Tinoco - Nova Viçosa (3)

Neste ano, as ações estão associadas à etapa escolar da III Conferência Estadual Infantojuvenil pelo Meio Ambiente, que será realizada de 7 a 9 de maio, em Salvador, e tem como objetivo alertar sobre a necessidade do uso consciente e racional dos recursos hídricos e assegurar os seus múltiplos usos pelas atuais e futuras gerações. No Colégio Estadual Doutor João Pedro dos Santos, localizado na Avenida Bonocô, em Salvador, os estudantes participaram de mais uma etapa do projeto ‘Caminho das Águas’, por meio de uma roda de conversa com o professor do Instituto de Biologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA), Eduardo Mendes.

Com o tema: ‘Dia Mundial da Água – Muito lero e pouco quero’, a iniciativa abordou questões como o fluxo hidrológico e a distribuição da água no planeta. “Neste bate-papo mostrei para os estudantes que nós, digo toda a sociedade, embora debatemos sobre a água e dissemos que temos uma preocupação, as ações mostram que não temos o devido cuidado com a água, porque o Brasil tem um grande manancial de água doce e ainda temos a seca. Tudo isso por conta da degradação dos recursos hídricos essenciais para a nossa sobrevivência. Portanto, sua proteção é fundamental”, contou o professor Eduardo Mendes.

O estudante Rodrigo Oliveira, 17, 3º ano, falou sobre a importância do debate. “O professor trouxe informações que até então eu não sabia, como o número de mananciais que temos no país, como a indústria age nas águas e sobre formas de preservação desse bem para a humanidade. Foi uma manhã proveitosa”, comentou.

Interior – No Colégio Estadual Eduardo Fróes da Motta, no município de Feira de Santana (110 km de Salvador), os alunos realizaram uma série de apresentações e debates seguindo diversos temas como ‘Planeta Água’, ‘Água e Agricultura’, ‘Água e Saúde’ e ‘Água e Energia’. A vice-diretora da unidade Mônica Borja, explicou que a ação pedagógica busca movimentar toda a comunidade escolar abrindo espaço para o conhecimento e para a conscientização. “Reunimos os estudantes do 5º ao 9º ano divididos em diversas atividades para discutir a importância da água. São apresentações baseadas em pesquisas que são orientadas por professores. É uma grande mobilização de toda a escola”, destacou.

Para a estudante do 9º ano, Letícia Lima, 13 anos, a discussão entre os colegas sobre temas voltados à água proporciona muito conhecimento. “Nossa turma trabalhou o assunto da água como fonte de energia. Mesmo sendo responsável na sua grande maioria pela obtenção de energia, ainda temos alternativas viáveis para maior exploração como a eólica e a biomassa, que podem contribuir para diminuir a exploração da água como único recurso”, contou.

Segundo a sua colega, Luise Barbosa, 14, também do 9º ano, os projetos ajudam o estudante a compreender mais os assuntos. “Poder trabalhar em conjunto torna o ensino mais prazeroso e com menos pressão. Isso resulta em um aprendizado divertido e que assimilamos com mais facilidade. Foi muito bom fazer parte desta discussão da água sabendo que estou contribuindo para o conhecimento de outras pessoas”, disse.

Já os estudantes do Colégio Estadual Eraldo Tinoco, no distrito de Posta da Mata, em Nova Viçosa, na Região do Extremo Sul (935 km de Salvador), realizaram caminhada pelas ruas no entorno da unidade escolar, carregando faixas de conscientização sobre a importância da água. Na atividade, foram distribuídas garrafas de água mineral. No Colégio Estadual Luciano Passos, em Cruz das Almas (a 153 km de Salvador), no Recôncavo, a comunidade escolar foi envolvida em torno de apresentações musicais, de poemas e criação de murais temáticos.

 Fotos: Divulgação

Educadores podem inscrever trabalhos para apresentação no Virtual Educa Bahia 2018

 

Estão abertas, até o dia 14 de abril, as inscrições para educadores de todo o Brasil que desejem apresentar trabalhos durante o Virtual Educa Bahia 2018, que acontecerá entre os dias 4 e 8 de junho, no Centro Estadual de Educação Profissional (CEEP) em Apoio Educacional e Tecnologia da Informação Isaías Alves (antigo ICEIA), no bairro do Barbalho, em Salvador. A seleção dos trabalhos será feita por uma comissão científica internacional e divulgada no dia 4 de maio. A inscrição é gratuita e deve ser realizada on-line, no endereço virtualeduca.org.

O secretário da Educação do Estado da Bahia, Walter Pinheiro, destacou a importância do Virtual Educa para a Bahia. “Este não é um encontro de tecnologia, mas para que a gente possa entender como é possível, contextualizando a Educação e enxergando cada território, promover a transformação social. Sou parceiro deste encontro desde a sua primeira edição. No ano de 2015, no México, disputamos sediar o Virtual Educa com a Argentina. Depois, em 2017, na Colômbia, a Bahia já sacramentou o Virtual Educa. Tanto é que encerramos na Colômbia o ritual de passagem para 2018 aqui na Bahia”, destacou.

O Virtual Educa Bahia 2018 está estruturado em seis fóruns, cada um dos quais é dividido em seminários. A apresentação do trabalho deve ser feita dentro de um fórum escolhido pelo educador na inscrição. São eles: Fórum de Educadores para a Era Digital; Fórum de Educação Superior, Inovação e Internacionalização; Fórum de Aprendizagem ao Longo da Vida; Fórum de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (P + D + i); Fórum de Inclusão, Avaliação e Qualidade; e Fórum de Desenvolvimento Tecnológico (Makers).Virtual-Educa

 Após a comunicação dos trabalhos selecionados para a apresentação no evento, os autores terão um prazo para confirmar a participação, bem como, para solicitar revisões de possíveis erros. As apresentações selecionadas, com divulgação prevista para o dia 25 de maio, constarão na programação geral do Encontro.

Sobre o Virtual Educa – O XIX Encontro Internacional Virtual Educa é um dos maiores eventos mundiais sobre inovação e tecnologia aplicadas à Educação e foi criado em 2001 com a Organização dos Estados Americanos (OEA), cujo objetivo é promover a inovação na Educação para promover a transformação social e o desenvolvimento sustentável, especialmente na América Latina e no Caribe. Tanto é que o lema desta edição é “Educação para transformar a sociedade em um espaço único multicultural”, em virtude da importância estratégica da Educação nas sociedades plurais do século XXI. Além disso, o Virtual Educa está associado ao I Fórum Global Virtual Educa sobre ‘Cooperação SUL-SUL’, sobre questões de inovação para inclusão.

O Virtual Educa opera por meio de uma aliança de organizações internacionais, agências multilaterais e instituições públicas e privadas, que reúne os setores público, empresarial, acadêmico e da sociedade civil. Nesta edição do encontro, será lançado o programa Think Blue, do Banco Mundial, que visa estabelecer um marco mundial sobre a economia do mar, com foco na sustentabilidade e na economia sustentável. Maiores informações no Portal da Educação (www.educacao.ba.gov.br)

 

- Período de submissão dos trabalhos (não prorrogável)

até 14/04

- Envio do certificado de registro do trabalho (CRP)

e a carta de convite (CIV)

Ao enviar o documento

- Avaliação de trabalhos submetidos

15 a 26 de abril

 

Comunicação dos resultados

27 de abril

Prazo de correção de erros

Prazo para transferência ao fórum virtual

02 de maio

 

Publicação dos resultados finais na web 

Repositório digital de certificados: certificado de apresentação
selecionado (CPS) e certificado de registro (CIN)

04 de maio

Acesso o painel do Apresentador para carregar

a comunicação que será apresentada na Encontro, formato PDF

até 08 de maio

Publicação do programa geral na web

25 de maio

 

XIX Encontro Internacional Virtual Educa Brasil

 

04 a 08 de junho

Repositório digital de certificados: certificado de apresentação (CPP) e certificado de participação (CPA)

22 de junho

Foto: Divulgação

Estudantes de Cachoeira recepcionam reis do Benin e celebram laços que unem a África e o Brasil

A comunidade escolar do Colégio Estadual de Cachoeira, no Recôncavo Baiano, viveu um dia especial, nesta quarta-feira (14), com a visita da comitiva real da República do Benin, composta pelos reis Houwamenou Daagbo Hounon e Gustave Espoir Quenum e pelo embaixador da República do Benin no Brasil, Boniface Vignon. O encontro proporcionou aos estudantes um contato com aspectos da ancestralidade, da descendência real dos brasileiros e a cultura africana. As autoridades do Benin, por sua vez, conheceram o projeto pedagógico do colégio, voltado ao estudo da África. A iniciativa faz parte do calendário do Fórum Social Mundial, que acontece pela primeira vez na Bahia, com atividades até sábado (17).

A comitiva foi recebida com a execução dos hinos do Brasil e do Benin, pelos estudantes, e apresentações de samba de roda e performance instrumental do grupo Coletivo de Música de Cachoeira, além de café da manhã com produtos orgânicos oriundos dos agricultores familiares de Cachoeira. O rei Houwamenou Daagbo falou do seu encantamento com a visita: “Sinto-me muito lisonjeado de estar visitando uma escola da rede pública estadual que tem a maioria de seus alunos negros e que é situada em uma cidade histórica com descendência africana”.

A estudante Geisiane de Moura, 16, 3º ano, era uma das mais emocionadas e ansiosas com a visita da comitiva real do Benin. Ela foi a escolhida para dar as boas-vindas ao grupo: “Mais de seis mil quilômetros separam o Benin de Cachoeira, uma vastidão de mar navegado pelos nossos ancestrais. Hoje é dia de celebrar o que nos aproxima, que é a conexão das nossas histórias entrelaçadas, que transformaram estrangeiros em parentes. Histórias que se cruzam e se interligam de uma forma única, de modo que um deixa marcas que nos fazem irmãos de sangue, cultura e fé”. Após a leitura do texto, a aluna falou da sua emoção: “Estamos diante de uma conexão de identidades e isto é muito importante porque está ligado à nossa ancestralidade. Esta visita foi um aprendizado para a nossa vida porque conhecemos melhor a cultura deles e eles conheceram um pouco da nossa”.

WhatsApp Image 2018-03-14 at 14.25.56

A professora de Língua Portuguesa, Milena Paixão, ressaltou a simbologia da visita da comitiva real do Benin ao Colégio Estadual de Cachoeira, por conta dos laços ancestrais. “Muitos de nós aqui temos nossa árvore genealógica com raízes no Benin. Reforço que negros e afrodescendentes brasileiros não descendem de escravos, mas de homens e mulheres livres, muitos deles reis e rainhas, que foram escravizados. Destaco, também, o quanto temos que lutar para minimizar as distorções que ainda vivemos dessa escravização. Por exemplo, se pensarmos na rainha Elizabeth, temos a imagem dela nas nossas mentes. E em relação às majestades negras?”, questiona.

O diretor Fábio Macedo também destacou a importância do encontro da comunidade escolar com a comitiva real. “Para todos nós, esta visita foi um marco por se tratar de um país irmão, de onde vieram os nossos ancestrais. Este contato com a ancestralidade mexe com o coletivo e receber uma comitiva de reis do Benim mostra que viemos de um povo africano majestoso. São laços que nos identificam e nos unem”.

Veja mais fotos: https://flic.kr/s/aHsmekECwp

Professores de Inglês têm até esta quarta-feira para se inscrever em curso de aperfeiçoamento nos Estados Unidos

A Secretaria da Educação do Estado da Bahia prorrogou, até esta quarta-feira (7), o período de inscrições para o curso de aperfeiçoamento da Língua Inglesa dirigido a professores efetivos do Ensino Médio. O Programa Fullbright Distinguished Awards in Teaching Program for International Teachers (DAI) prevê um intercâmbio de cinco meses nos Estados Unidos. A ação é desenvolvida em parceria com o Conselho Nacional de Secretários de Educação (CONSED) e reserva quatro vagas para a rede estadual de ensino da Bahia.image

Os interessados devem preencher os documentos disponibilizados no portal da Educação, como o currículo e o formulário de inscrição e enviar para o e-mail: lucinete.franca@educacao.ba.gov.br. A seleção será feita por uma comissão da Secretaria da Educação do Estado e o resultado está previsto para ser divulgado na sexta-feira (9). Dentre os requisitos para se inscrever, é preciso ter atualmente 50% do tempo de sua carga horária em sala de aula lecionando língua inglesa; possuir, no mínimo, Bacharelado ou Licenciatura em Inglês; ter, no mínimo, cinco anos de experiência comprovada em sala de aula e ter, no mínimo, mais dois anos de trabalho como professor de Inglês.

O curso tem o objetivo de promover o fortalecimento do ensino da Língua Inglesa na rede estadual. Os professores selecionados embarcarão para os Estados Unidos em janeiro de 2019, onde deverão permanecer até o mês de maio. Em uma universidade americana, eles irão ter aulas e passarão por uma formação intensiva, que incluirá metodologias de ensino, planejamento de aula, estratégias de ensino, liderança e, também, o uso de tecnologias em Educação.

Escolas estaduais promovem atividades alusivas ao Dia Internacional da Mulher

“Quem Ama Abraça – Fazendo Escola”. Este o tema da campanha promovida pela Secretaria da Educação da Bahia em parceria com Secretaria de Políticas para as Mulheres (SPM), que envolverá uma série de atividades nas escolas estaduais, durante todo o mês de março, alusivas ao Dia Internacional da Mulher (8). A campanha tem como objetivo o fortalecimento do espaço escolar, como campo privilegiado para a reflexão e a superação das diferentes formas de violência contra a mulher e discutir o papel da escola neste sentido.Dia da Mulher - Colégio Estadual de Cachoeira - Divulgação (1)

Nesta terça-feira (06), a comunidade escolar do Colégio Estadual Luciano Passos, localizado na cidade de Cruz das Almas, a 146 km de Salvador, no Recôncavo, participará de rodas de conversas, palestras e exposições com temas ligados à luta das mulheres por equidade de gênero. O Colégio Estadual Monte Gordo vai promover rodas de conversa, na quinta-feira (8), pela manhã, com todos os estudantes sobre a violência contra a mulher. “A gente vai trazer esta temática como gancho para falar da igualdade entre homens e mulheres, pois entendemos que é preciso trabalhar estas questões pedagogicamente na escola”, afirmou o vice-diretor, Roberto Luiz Dantas.

O tema também será abordado no Colégio Estadual Alaor Coutinho, em Praia do Forte. “A escolha do se deu por relatos de muitos casos de violência contra a mulher e vamos fazer algumas ações que envolvem palestras, encontro com as mães para falar de autoestima e seminário”, afirmou a diretora Maria do Socorro Silva Aquino.

A diretora do Ensino Médio da Secretaria da Educação, Tereza Faria, falou sobre o papel da escola no enfrentamento às violências e para fortalecer, cada vez mais, a mulher na sociedade. “É de extrema importância inserir a pauta do empoderamento feminino na Educação Básica e de uma máxima relevância, porque as mulheres ainda são vítimas de um número absurdo de crimes, que vão desde o assédio à violência psicológica e ao feminicídio, quando efetivamente a gente perde a mulher para a extrema violência. Falar em relação à valorização da mulher, ao empoderamento e a importância de ela estar se constituindo como sujeito independente, livre e também consciente de suas potencialidades e do seu papel, ajuda a nova geração de meninas a entender que precisamos, realmente, dar um basta nessa violência”, analisa.

Na sede da Secretaria da Educação do Estado serão realizadas, de quarta (7) a sexta (9), palestras, debates e outras ações onde serão abordados temas como: violência contra a mulher, amor próprio (autocuidado), resgate a autoestima, superação e empoderamento feminino. No dia 7, a programação será realizada das 9h às 14h. No auditório da Secretaria serão realizadas duas palestras, das 11h às 12h, sobre violência moral e emocional, a partir do método de terapia emocional desenvolvido exclusivamente para mulheres, que buscam a liberdade emocional e o despertar do amor próprio, com participação da psicóloga Pri Castro, via Skype.

Ainda de acordo com a programação, das 12h30 às 13h30, a designer de moda, Madá Negrif, falará sobre Empoderamento Feminino. No dia 8, dentre outras coisas, haverá apresentações musicais com Carina Tapajós e Erich Valadares e de Black Dance, além de uma roda de conversa, das 9h50 às 11h40, com a temática “ Mulheres que fazem a diferença:  seus desafios e conquistas”. Dentre as convidadas está a capitã Sheila Barbosa, que vai falar sobre a experiência como comandante da Base Comunitária de Segurança de Santa Cruz, em Salvador. Das 12h às 13h, a nutróloga Liane Barreto irá falar sobre ‘Círculo de Vivência para Mulheres através da meditação, respiração consciente e automassagem’. Na sexta-feira (9), a programação segue com ginástica laboral.

Fotos: Divulgação/Ilustração

Estado amplia oferta de cursos técnicos do Eixo Produção Cultural e Design

O Governo do Estado, por meio da Secretaria da Educação, está ampliando a oferta de cursos da Educação Profissional e Tecnológica para o ano letivo de 2018 e uma das novidades é a expansão do número de vagas e de cursos do Eixo Tecnológico de Produção Cultural e Design. Agora, a rede oferta 14 cursos só neste eixo, o dobro em relação a 2017 (Canto, Cenografia, Composição e Arranjo, Comunicação Visual, Conservação e Restauro, Dança, Figurino Cênico, Instrumento Musical, Multimídia, Processos Fotográficos, Produção de Áudio e Vídeo, Publicidade, Regência e Teatro). Com isso, a oferta passou de cinco para 16 Núcleos Territoriais de Educação (NTE), de oito para 22 municípios, de 11 para 18 unidades escolares.

Música000

O superintendente da Educação Profissional e Tecnológica, Durval Libânio Netto, explica as razões que levaram à expansão dos cursos e da oferta na Bahia. “As mudanças têm o objetivo de proporcionar aos estudantes a capacitação para criar conteúdos culturais sobre os Territórios de Identidade baianos onde residem, incluindo seus aspectos sociais, econômicos e ambientais. A formação é voltada para o mundo do trabalho, com disciplinas de empreendedorismo e gestão, o que valoriza, ainda mais, o profissional da economia criativa para atuar na sua região”, afirmou.

Segundo Durval, a decisão ocorreu em sintonia com a implantação do projeto Escolas Culturais, que abre as escolas estaduais para a comunidade, potencializando os projetos artísticos e culturais já existentes e fomentando novas atividades no Território de Identidade, que aliam Educação, Arte e Cultura, promovendo o protagonismo estudantil. “Com a proposta das Escolas Culturais de incentivar a produção e a valorização da cultura do Território de Identidade onde está inserida, estamos também implantando cursos técnicos como uma alternativa para as diversas ações que ocorrem nas escolas. A ideia é que todas as unidades que recebem o projeto sejam beneficiadas com a inclusão de cursos deste Eixo”, disse, ao afirmar, que das 18 escolas com ofertas do Eixo Produção Cultural e Designer, 11 têm o projeto Escolas Culturais.

Matriz curricular – Outra novidade é a reformulação do currículo com a redução de carga-horária, tendo em vista que os cursos passam a ser ofertados em um ano, e com a inserção de novas disciplinas, como as de Empreendedorismo e Intervenção Social e Política e Gestão Cultural. A disciplina de Empreendedorismo e Intervenção Social está voltada para a difusão da prática de empreendedorismo em diversos setores da cultura, conscientizando os alunos sobre a dinâmica econômica do setor cultural, envolvendo conceitos da economia da cultura. Já a disciplina de Política e Gestão Cultural visa estimular o estudante por meio de reflexões e práticas sobre o universo da cultura na contemporaneidade, realizando uma maior aproximação com seus Territórios de Identidade e com temas ligados às culturas brasileiras e baianas, as políticas culturais, além da organização da cultura (gestão, planejamento, programação, produção).

 

Fotos: Divulgação