SEC e SESAB iniciam curso virtual, nesta sexta-feira (26), para promoção da Saúde junto à comunidade escolar

A Secretaria da Educação do Estado da Bahia (SEC) inicia, a partir desta sexta-feira (26), às 16h, através do canal do YouTube do Instituto Anísio Teixeira (IAT), no endereço https://bit.ly/3cmQtiR, o primeiro módulo do curso do projeto “Escola segura em tempos de pandemia da Covid-19”. Trata-se de um projeto do governo, em articulação entre a SEC e a Secretária da Saúde do Estado (SESAB), dentro de um processo de integração com a Escola de Saúde Pública da Bahia (ESPBA) e outras instituições, com o foco no desenvolvimento de ambientes escolares seguros. O curso é voltado para todos da rede, com programação inicialmente para gestores, professores e demais servidores da rede, até chegar aos estudantes e familiares, além de toda a comunidade escolar. O objetivo é que todos sejam promotores de saúde.

A superintendente de Recursos Humanos da Educação, Maria do Rosário Muricy, falou da importância do projeto. “É um projeto que objetiva o desenvolvimento de ambientes escolares seguros, a partir de uma estratégia de cursos, oficinas e encontros virtuais, capacitando dirigentes, professores, coordenadores pedagógicos e servidores das unidades escolares. Além disso, visa fortalecer a capacidade de ação e promoção da saúde, com orientações e medidas de prevenção da Covid-19 e aplicação dos protocolos com vistas à retomada das atividades letivas de forma segura no Estado da Bahia”, destacou.

A iniciativa envolve a participação dos profissionais dos Núcleos Territoriais de Educação (NTEs) e Núcleos Regionais de Saúde (NRS), além dos programas de Saúde da SEC, como o Programa de Atenção à Saúde e Valorização do Professor e o Programa Saúde na Escola. O projeto faz parte do Plano Estratégico de Retomada Gradativa e Seguro das Atividades Escolares da SEC, em consonância com as Políticas Nacionais de Promoção da Saúde.

A programação do curso está dividida em três módulos: módulo I – “Covid-19: transmissibilidade, medidas de prevenção e proteção coletiva e individual”; que acontecerá nesta sexta (26); módulo II – “Medidas de prevenção e promoção da saúde em ambiente escolar”, no dia 29; e o módulo III – “Dialogar e construir caminhos sobre a aplicabilidade das medidas dos protocolos nas escolas e comunidades”, no dia 31. Todos os módulos serão realizados a partir das 16h, no YouTube.

Foto: Ilustrativa

Vale-alimentação estudantil contribui para segurança alimentar dos estudantes e suas famílias

O vale-alimentação estudantil, concedido pelo Governo do Estado para todos os estudantes matriculados na rede estadual de ensino, tem se configurado como uma complementação da renda das famílias. Cada estudante tem direito ao vale de R$ 55, que são destinados para a compra de gêneros alimentícios. Os alimentos podem ser comprados com o cartão Alelo em mais de 20 mil estabelecimentos credenciados, nos 417 municípios baianos, além de distritos e povoados. Com este novo crédito, foram disponibilizados mais R$ 44 milhões que, junto com as demais parcelas, somam R$ 220 milhões de recursos próprios do Governo do Estado destinados a este benefício.

Segundo a dona de casa Nilvanete Macedo, 39, mãe do estudante Edivael Macedo, 17, que cursa o 3º ano, no anexo do Colégio Estadual Rolando Laranjeira, localizado na zona rural de Açudina, em Santa Maria da Vitória, o valor do vale está servindo como fonte de renda para a família. “Moramos eu, meu filho e mais duas pessoas em casa e todos nós estamos desempregados no momento. Então, vejo este cartão como uma bênção, pois está sendo muito importante para a gente neste momento difícil da pandemia. Compramos alimentos, como feijão, arroz, óleo, sal e outros. Agradeço muito pela ajuda do governador”, revelou.

O mesmo acontece na família de Claudiana da Silva Araújo, 36, mãe da estudante Rilaris da Silva Martins, 17, que faz o curso técnico em Administração, no Centro Territorial de Educação Profissional (CETEP) de Irecê. “Antes, eu trabalhava na roça, mas não pude trabalhar mais, pois tive que cuidar do meu marido quando ele adoeceu. Estou desempregada e o vale-alimentação vem nos ajudando bastante, até porque estávamos sem renda alguma”, disse. Rilaris agradeceu pelo benefício. “O valor de R$ 55 chegou em um momento muito difícil e foi bem-vindo, pois compramos vários alimentos para a nossa família”.

O vale-alimentação também vem beneficiando a família da estudante Valdetina Cruz, 51, que faz o curso técnico em Nutrição, no Centro Territorial de Educação Profissional (CETEP) do Sisal II, em Araci. Ela é mãe dos estudantes Raiene Maria da Silva e Lívio Augusto de Farias, que fazem o curso técnico em Informática, também no CETEP. “Estamos muito felizes com esta ajuda, que está sendo de suma importância na minha vida e na de muitas famílias que, devido à situação atual que estamos passando e ao grande índice de desemprego, veio para amenizar as nossas necessidades diárias. Só temos que agradecer ao governo estadual pela iniciativa”, disse.

Em caso de dúvida sobre o vale-alimentação, o estudante deve entrar em contato com a escola onde está matriculado ou pelos canais da Ouvidoria (0800 284 0011 e e-mail ouvidoria@educacao.ba.gov).

Outras políticas de assistência estudantil

Além do vale-alimentação, o Governo da Bahia investe em mais dois programas de assistência estudantil, cujos investimentos somam mais de R$ 410 milhões, em 2021. Com o Programa Mais Estudo, bolsas de R$ 100 serão concedidas para 52 mil estudantes, que darão monitoria em Língua Portuguesa, Matemática e Educação Científica aos colegas.

 O outro programa é o Bolsa Presença, que concederá R$ 150 reais para cada família de baixa renda, cadastrada no CaD Único e com filhos na rede estadual. O objetivo do Bolsa Presença é assegurar a permanência dos estudantes nas escolas, evitar o abandono e fortalecer o vínculo com a escola.
Foto: Divulgação

Educação ambiental a partir do uso da água como bem comum é tema da live comemorativa ao “Dia Mundial da Água”

A Secretaria da Educação do Estado (SEC), em parceria com a Secretaria do Meio Ambiente do Estado (SEMA), realizou, nesta quarta-feira (24), uma live comemorativa ao Dia Mundial da Água (22 de março). A partir do tema “Reflexões sobre o uso da água como bem comum”, questões como uso racional do recurso hídrico, acesso à água de qualidade e mudanças climáticas foram focadas ao longo do debate e das palestras transmitidas pelo canal da Educação no Youtube (https://bit.ly/31hSg2l).
O subsecretário da SEC, Danilo Souza, falou sobre a importância do debate sobre o tema da água nas áreas da Educação e da Saúde, dentro de uma mobilização de toda a rede sobre o uso racional do recurso. “Quando falamos de refletir sobre o uso da água enquanto bem comum, estamos falando de saúde, de meio ambiente, de Ciência. Este é também um tema da Educação. Precisamos discutir no currículo da Educação Básica este tema, que é multidisciplinar e que faz parte de uma perspectiva para uma nova economia, uma nova civilização, um novo projeto que todos nós temos o dever de legar para as futuras gerações”.
A reflexão sobre a importância da Educação Ambiental na preservação dos recursos hídricos, considerando a sua correlação com os aspectos socioambientais, foi foco da fala do secretário estadual de Meio Ambiente, João Carlos de Oliveira. “Estamos vivendo um momento de pandemia muito forte, que nos traz reflexões importantes, dentro do contexto da sustentabilidade do meio ambiente. Precisamos repensar a nossa caminhada de vida e a nossa convivência com a natureza; precisamos refletir sobre a relação com o mundo do trabalho e no seio familiar. Portanto, é um momento de reflexão também sobre o pós-pandemia”.
A estudante Débora Feitosa, 17 anos, 2º/3º ano do Colégio Modelo Luís Eduardo Magalhães, no município de Irecê, que representou a Bahia na última edição da Conferência Infantojuvenil do Meio Ambiente, falou sobre seu engajamento com o tema do meio ambiente. “Em 2018, desenvolvi um projeto com o objetivo de economizar e reutilizar a água da nossa escola. Conseguimos economizar cerca de 18 mil litros de água e foi por conta desse projeto que fui selecionada para a conferência, cujo tema foi ‘As escolas cuidando das águas na Bahia’. A partir desse evento, comecei a entender mais sobre as questões socioambientais”, relatou.
Participaram, ainda, o coordenador de Educação Ambiental da SEC, Fábio Fernandes Barbosa, que mediou a live, o superintendente de Políticas e Planejamento Ambiental da SEMA, Claudemir Nonato; e o diretor-geral da Agência Reguladora de Saneamento Básico do Estado da Bahia, Walter Oliveira, além do ambientalista e pesquisador do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Estudos Inter e Transdisciplinares em Ecologia e Evolução (INCT IN-TREE) e coordenador do Fórum Clima Salvador, Virgílio Machado; e da advogada, pós-graduada em Gerenciamento de Recursos Hídricos pela Universidade Federal da Bahia, Larissa Cayres, que palestraram sobre o tema.

CONSED discute estratégias para ampliação da oferta da Educação de Jovens e Adultos

As secretarias estaduais de Educação da Bahia (SEC) e do Rio Grande do Norte (SEEC), realizaram, nesta quarta-feira (24), uma reunião virtual, sob a coordenação do Conselho Nacional dos Secretários de Educação (CONSED), para debater estratégias para a ampliação da oferta da Educação de Jovens e Adultos (EJA). A proposta é que, por meio de grupos de trabalho, as secretarias desenvolvam temáticas voltadas à Educação para que sejam utilizadas na articulação do CONSED, junto aos estados e à União.
O secretário da Educação da Bahia, Jerônimo Rodrigues, destacou o trabalho em conjunto entre as secretarias. “Temos que trazer elementos que possam apresentar perspectivas que provoquem a articulação do CONSED com os estados; conhecer as boas práticas e saber como podemos adaptar à realidade de cada localidade; conhecer qual a proposta do MEC (Ministério da Educação) em relação ao investimento para a EJA para que possamos também saber trabalhar e desenvolver nossas políticas em relação à União”.
Para o secretário da Educação do Rio Grande do Norte, Getúlio Marques, é importante a integração da EJA com os outros campos da formação dos estudantes. “Acredito que a EJA, integrada a formações  profissionais, culturais e desportivas, tem muito mais chance de sucesso. Por isso, este é o primeiro momento para podermos conhecer algumas propostas e, com as equipes técnicas, desenvolvermos os temas estratégicos”.
Ainda estiveram presentes a superintendente de Políticas para a Educação Básica da SEC, Manuelita Brito; o superintendente da Educação Profissional e Tecnológica da SEC, Ezequiel Westphal; a secretária adjunta da SEEC, Márcia Ribeiro; a diretora institucional do CONSED, Nilce Costa; além das equipes técnicas da SEC, SEEC e CONSED.

Foto: Divulgação


ALBA aprova projeto de lei do Bolsa Presença para atender estudantes em vulnerabilidade socioeconômica

A Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA) aprovou por unanimidade, nesta quarta-feira (24), o projeto de Lei nº 24.131/2021, do Governo do Estado, que institui o pagamento da Bolsa Presença para estudantes matriculados na rede estadual e em condição de vulnerabilidade socioeconômica. A iniciativa faz parte do programa Estado Solidário, que concederá R$ 150 reais para as famílias dos estudantes cadastradas no CaDÚnico. O objetivo do Bolsa Presença é assegurar a permanência dos estudantes nas atividades letivas, evitar o abandono e fortalecer o vínculo com a escola.

 O secretário da Educação do Estado, Jerônimo Rodrigues, falou sobre a aprovação. “Queremos agradecer aos deputados por esta celeridade. A Bolsa Presença é mais uma ação criada pelo governador Rui Costa pensando no estudante de forma integral, visando assegurar o aprendizado e, também, uma assistência econômica neste momento difícil de pandemia”.

O projeto de lei teve a relatoria da deputada Fabíola Mansur, presidente da Comissão de Educação da ALBA. A parlamentar também falou sobre a importância e o alcance social da Bolsa Presença. “Precisamos garantir uma educação contextualizada, pautada nos saberes e nas vivências dos estudantes, bem como nos projetos de vida nas diversas linhas pedagógicas que reforcem a formação integral e fortaleçam os processos de aprendizagem, destacando as expertises, potencializando a autoestima e o planejamento de vida dos alunos. Para além da educação, este projeto tem a função de combater a fome e isso é essencial no momento em que vivemos”, destacou.

Sobre a bolsa – Os estudantes contemplados na Bolsa Presença correspondem a, aproximadamente, 37% do total de matriculados em toda a rede estadual, beneficiando mais de 257 mil famílias. O investimento anual previsto é de mais de R$ 231 milhões e a expectativa é que o programa dure seis meses. Para a manutenção das bolsas, as famílias devem garantir, no mínimo, 85% de frequência dos estudantes nas aulas e a participação ativa nas atividades e avaliações escolares, a exemplo dos encontros de mães, pais ou responsáveis.

Outras políticas de assistência estudantil

Além do Bolsa Presença, o Governo do Estado mantém o Programa Mais Estudo, com bolsas de R$ 100 concedidas para 52 mil estudantes, que darão monitoria em Língua Portuguesa, Matemática e Educação Científica aos colegas. Tem, ainda, o Programa Vale-alimentação Estudantil, que destina R$ 55 por estudante matriculado na rede estadual para a compra de gêneros alimentícios. Juntos, estes três programas – Bolsa Presença, Vale-alimentação Estudantil e Mais Estudo – totalizam mais de R$ 410 milhões de investimentos do Estado, em 2021, direcionados aos estudantes da rede estadual de ensino.

Foto: Josenildo Almeida / Ilustrativa


Segundo dia de matrícula para alunos novos na rede estadual de ensino envolve 134 municípios conforme calendário da SEC

O segundo dia de matrícula da rede estadual de ensino para alunos novos envolve 134 municípios de sete Núcleos Territoriais de Educação (NTE). A matrícula para o ano letivo 2020/21 segue até 14 de abril. De acordo com o cronograma, até esta quinta-feira (25), o processo será voltado para alunos novos egressos de escolas municipais. Já os da rede privada começaram a ser matriculados a partir desta quarta-feira (24).

A matrícula pode ser feita pelo SAC Digital, no endereço eletrônico www.sacdigital.ba.gov.br/, ou pelo aplicativo SAC DIGITAL (disponível gratuitamente nos sistemas ANDROID e IOS). Para os estudantes ou pais sem acesso à internet, a matrícula pode ser realizada diretamente na escola, com horários agendados por telefone, adotando todos os protocolos sanitários durante o atendimento.

A matrícula está ocorrendo por blocos de municípios que fazem parte dos 27 Núcleos Territoriais de Educação (NTE) e os estudantes precisam consultar as datas, conforme o cronograma disponível no Portal da Educação (estudantes.educacao.ba.gov.br/matricula2021). O primeiro bloco, iniciado terça (23) e que segue até esta quinta-feira (25), contempla os seguintes NTEs: Irecê (NTE 01), Bom Jesus da Lapa (NTE 02), Seabra (NTE 03), Serrinha (NTE 04), Itabuna (NTE 05), Valença (NTE 06) e Itapetinga (NTE 08). Dentre as cidades, destacam-se: Almadina, Macaúbas, Itabuna, Mucugê, Tucano, Taperoá, Jussarí, Rio de Contas, Itaetê, Piatã, Xique-xique, Gandu e Iguaí, entre outras.

A matrícula de concluintes do 5º ano ou 9º ano do Ensino Fundamental regularmente matriculados na rede pública municipal de ensino, no ano letivo de 2020, cujas escolas não oferecem a série subsequente, será de 23 a 25 de março. Já para o ingresso do candidato em unidade escolar da rede estadual em qualquer ano/série para o Ensino Fundamental, a matrícula nova será no dia 25 e para o Ensino Médio, nos dias 24 e 25.

Em Bom Jesus da Lapa, a estudante Anny Aparecida Lopes, 15, que estudava na rede privada, no Centro Integrado de Ensino Continuado (CIEC), já fez a sua matrícula de forma on-line, sem precisar sair de casa, no 1º ano do Colégio Modelo Luís Eduardo Magalhães. “É necessário ter a matrícula on-line, principalmente no momento em que estamos e precisamos ficar em casa. O processo de matrícula é super rápido, muito seguro e, o melhor de tudo, muito fácil de realizar”, afirmou.

Sobre a expectativa para o ano letivo, Anny disse que está animada. “Já tive contato com o ensino remoto no ano passado e tive facilidade em me adaptar. Podemos ter aula no conforto da nossa casa, sem a necessidade de nos deslocarmos. Estamos tendo contato com as tecnologias e aprendemos como usá-las, já que está sendo de muita importância nos dias de hoje. Além disso, é muito bom ter novas experiências e desafios”.

Matrícula on-line – Para se cadastrar no SAC Digital, é simples. Basta acessar o endereço www.sacdigital.ba.gov.br na internet e clicar na opção “Cadastre-se”. Caso prefira, o estudante pode fazer seu cadastro no aplicativo SAC Digital. O app está disponível para celulares Android e iOS. Se o aluno novo for menor de 16 anos, o cadastro deverá ser feito em nome dos pais ou do responsável.

Na internet ou no app, será necessário preencher e fornecer dados pessoais, como nome completo, CPF, data de nascimento, e-mail e telefones para contato, entre outros, clicando em “Avançar”. Nas páginas seguintes, serão preenchidas informações sobre endereço do estudante e senha para acesso à plataforma. Todos os dados fornecidos serão confirmados na quarta e última página.

Uma mensagem será enviada para o e-mail cadastrado no SAC Digital para ativação da conta. Com isso, o estudante poderá acessar a plataforma em “Entrar”, fornecendo senha e login, e buscar o serviço “Solicitar matrícula para aluno novo”.

Para a comprovação da matrícula, os alunos novos precisarão apresentar, em data a ser agendada com a escola, os seguintes documentos: original do Histórico Escolar; original e cópia da Cédula de Identidade ou Certidão de Registro Civil; original e cópia do CPF; original e cópia legível com data recente do comprovante de residência (água, luz, telefone fixo ou móvel, gás encanado, Internet, contrato de aluguel, IPTU, cartão de crédito ou TV por assinatura); original e cópia da carteira de vacinação; cópia da Cédula de Identidade da mãe do aluno; e cópia do CPF da mãe do aluno.

Saiba mais: www.educacao.ba.gov.br

Foto: Divulgação

Estudantes de Vitória da Conquista, Feira de Santana e Rio de Contas são finalistas da 10ª Olimpíada Brasileira de Saúde e Meio Ambiente

Quatro unidades escolares da rede estadual tiveram seus projetos selecionados para a etapa final da 10ª Olimpíada Brasileira de Saúde e Meio Ambiente (OBSMA), ainda sem data para acontecer. São elas: Colégio Polivalente de Vitória da Conquista; Colégio Estadual Carlos Souto, em Rio de Contas; Colégio Estadual Helena Assis Suzart, em Feira de Santana; e Centro Juvenil de Ciência e Cultura (CJCC) de Vitória da Conquista. Promovida pela Fiocruz, o evento é voltado para estudantes do 6º ano do Ensino Fundamental ao 3º ano do Ensino Médio de escolas públicas e privadas de todo o país, com o objetivo de estimular o desenvolvimento de atividades interdisciplinares e fortalecer neles o desejo de realizar trabalhos de iniciação científica que contribuam para a melhoria das condições ambientais e de saúde.

Com o projeto de audiovisual “Incêndios florestais no município de Rio de Contas”, o estudante Antônio Luiz, 18, 3º ano do Colégio Estadual Carlos Souto, fala sobre a experiência. “Léia, minha professora de Biologia, sempre trouxe para a sala de aula a importância de combater os incêndios na nossa cidade, criando projetos e atividades, a exemplo da ‘Gincana das plantas’, que tinha o objetivo de propagar a educação ambiental e para o qual o vídeo foi produzido. Queríamos mostrar não só as belezas da nossa cidade, mas também contribuir para a sua preservação, uma vez que Rio de Contas possui nascentes importantes e espécies endêmicas. Participar deste projeto foi divertido e gratificante, porque descobrimos coisas que não sabíamos sobre onde moramos e ajudamos no combate aos incêndios”.

Dilcileia Anjos Santos, Léia para seus alunos, afirma que, como professora de Biologia e brigadista, a temática dos incêndios florestais no ambiente escolar é uma prática pedagógica constante. “Meu objetivo é foi incentivá-los no desenvolvimento de ações que sensibilizassem a população para a conservação e preservação ambiental, bem como alertá-los de que os incêndios podem causar danos irreversíveis ao meio ambiente e refletir negativamente na própria condição de vida e saúde do homem. Esta foi a primeira vez que a nossa escola participou da OBSMA e ter sido o destaque da Região Nordeste II é gratificante”.

O Centro Juvenil de Ciência e Cultura (CJCC) de Vitória da Conquista também representou a rede pública estadual na olimpíada nacional com o projeto de produção de texto “Roteiro de História em Quadrinhos Oxy: a garota ácido úrico”. Orientada pela professora Karine Brandão Nunes Brasil, a estudante Andra Barbosa, 20, do curso técnico de Enfermagem no Centro Estadual de Educação Profissional (CEEP) em Saúde Adélia Teixeira, explica que o projeto teve como objetivo identificar o conhecimento das pessoas acerca de doenças e mutações genéticas e seu interesse em temas científicos, por meio da ludicidade com histórias em quadrinhos nas áreas de Genética e Biotecnologia, visando a divulgação científica das síndromes de Trimedilaminuaria e Lesch-nyhan. “Ter sido selecionada com um projeto que me ajudou a aprimorar várias habilidades que estavam adormecidas em mim, como a escrita e a veia científica, é uma experiência maravilhosa”.

Incentivar seus alunos a participarem da OBSMA, pelo que representa, por ser promovida por um dos maiores centros de pesquisa do país e por dar oportunidade da Educação Básica fazer contato com a Ciência, conta Karine, sempre foi uma prática sua como professora de Ciências Naturais do CJCC. “Meus alunos sonham em ser cientistas. É muito prazeroso para mim participar dessa olimpíada. Foi um trabalho desafiador, diante das dificuldades que a pandemia impôs. Como ela é uma estudante muito dedicada e de uma inteligência incrível, conseguiu fazer o projeto com todas as limitações tecnológicas dela. Estou muito feliz por esta conquista”.

Também foram selecionados para a final da OBSMA os projetos “A Geografia na fotografia e na poesia”, do Colégio Polivalente de Vitória da Conquista, e o #partiuE-lixo, Colégio Estadual Helena Assis Suzart, em Feira de Santana.  

Foto: Divulgação

Começa matrícula para alunos novos na rede estadual de ensino

A matrícula da rede estadual de ensino para o ano letivo 2020/21 segue até 14 de abril. A partir desta terça-feira (23), até o dia 25 de março, o processo será voltado para alunos novos egressos de escolas municipais. Já os da rede privada, a partir desta quarta-feira (24). A matrícula pode ser feita pelo SAC Digital, no endereço eletrônico www.sacdigital.ba.gov.br/, ou pelo aplicativo SAC DIGITAL (disponível gratuitamente nos sistemas ANDROID e IOS). Para os estudantes ou pais sem acesso à internet, a matrícula pode ser feita diretamente da escola, com horários agendados por telefone, adotando todos os protocolos sanitários durante o atendimento.

A matrícula está ocorrendo por blocos de municípios que fazem parte dos 27 Núcleos Territoriais de Educação (NTE) e os estudantes precisam consultar as datas, conforme o cronograma disponível no Portal da Educação (estudantes.educacao.ba.gov.br/matricula2021). O primeiro bloco, iniciado nesta terça (23) e que segue até o dia 25 de março, contempla os seguintes NTEs: Irecê (NTE 01), Bom Jesus da Lapa (NTE 02), Seabra (NTE 03), Serrinha (NTE 04), Itabuna (NTE 05), Valença (NTE 06) e Itapetinga (NTE 08). Dentre as cidades, destacam-se: Almadina, Macaúbas, Itabuna, Mucugê, Tucano, Taperoá, Jussarí, Rio de Contas, Itaetê, Piatã, Xique-xique, Gandu e Iguaí, entre outras.

A matrícula de concluintes do 5º ano ou 9º ano do Ensino Fundamental regularmente matriculados na rede pública municipal de ensino, no ano letivo de 2020, cujas escolas não oferecem a série subsequente, será de 23 a 25 de março. Já para o ingresso do candidato em unidade escolar da rede estadual em qualquer ano/série para o Ensino Fundamental, a matrícula nova será no dia 25 e, para o Ensino Médio, nos dias 24 e 25.

No município de Serrinha, Gildasio de Jesus já garantiu a matrícula do seu filho Lucas Odlon de Jesus, 18, que estudava no Colégio Municipal Leobino Cardoso Ribeiro e agora vai cursar a modalidade Educação de Jovens e Adultos (EJA), no Colégio Estadual Rubem Nogueira. “Acabei de matricular o meu filho, porque acho muito importante este retorno das aulas. O papel da família também é essencial, por isso sempre acompanho as tarefas da escola junto com ele”, disse.

O estudante da zona rural Jardiel Sena, 15, do povoado de Alecrim, em Cafarnaum, foi com sua mãe Ivanilde de Sena Souza para se matricular no 1º ano no Colégio Estadual Imaculada Conceição, localizado no centro da cidade. “Eu estudava na Escola Municipal Coriolano Neves Guimarães e acabei de ser matriculado neste colégio estadual. Como não tenho internet em casa, já recebi meus materiais de estudos impressos e sei que vai dar tudo certo com o ensino remoto”, afirmou, animado.

Em Irecê, Rosângela Soares foi com a sua filha Letícia Soares, 15, que estudava na Escola Municipal Joel Americano Lopes, para realizar a matrícula no Centro Territorial de Educação Profissional (CETEP) de Irecê, onde irá cursar o 1º ano do curso técnico em Administração. “Gostei muito do atendimento na matrícula, pois foi rápido, tranquilo, sem tumulto e bem organizado. Acredito muito nas aulas remotas, pois é a melhor opção para os estudantes neste momento”, comentou.

Matrícula on-line – Para se cadastrar no SAC Digital, é simples. Basta acessar o endereço www.sacdigital.ba.gov.br na internet e clicar na opção “Cadastre-se”. Caso prefira, o estudante pode fazer seu cadastro no aplicativo SAC Digital. O app está disponível para celulares Android e iOS. Se o aluno novo for menor de 16 anos, o cadastro deverá ser feito em nome dos pais ou do responsável.

Na internet ou no app, será necessário preencher e fornecer dados pessoais, como nome completo, CPF, data de nascimento, e-mail e telefones para contato, entre outros, clicando em “Avançar”. Nas páginas seguintes, serão preenchidas informações sobre endereço do estudante e senha para acesso à plataforma. Todos os dados fornecidos serão confirmados na quarta e última página.

Uma mensagem será enviada para o e-mail cadastrado no SAC Digital, para ativação da conta. Com isso, o estudante poderá acessar a plataforma em “Entrar”, fornecendo senha e login, e buscar o serviço “Solicitar matrícula para aluno novo”.

Para a comprovação da matrícula, os alunos novos precisarão apresentar, em data a ser agendada com a escola, os seguintes documentos: original do Histórico Escolar; original e cópia da Cédula de Identidade ou Certidão de Registro Civil; original e cópia do CPF; original e cópia legível com data recente do comprovante de residência (água, luz, telefone fixo ou móvel, gás encanado, Internet, contrato de aluguel, IPTU, cartão de crédito ou TV por assinatura); original e cópia da carteira de vacinação; cópia da Cédula de Identidade da mãe do aluno; e cópia do CPF da mãe do aluno.

Saiba mais: www.educacao.ba.gov.br

Foto: Divulgação

Estudantes de toda a Bahia realizam compras com o vale-alimentação estudantil

Com a quinta parcela do vale alimentação estudantil no valor de R$ 55, por estudante, os 800 mil estudantes da rede estadual já estão realizando as suas compras de alimentos nos mais de 20 mil estabelecimentos, como supermercados, mercadinhos de bairros e padarias credenciados na rede Alelo, nos 417 municípios da Bahia, distritos e povoados. A iniciativa visa reforçar a segurança alimentar dos estudantes e de suas famílias. Nesta etapa, foram disponibilizados mais R$ 44 milhões que, junto com as demais parcelas, somam o investimento de R$ 220 milhões de recursos próprios do Governo do Estado.

Segundo a estudante Bruna Santos, 16, 1º ano, do Colégio Estadual de Jequié, em Jequié, as parcelas do vale-alimentação têm servido como complemento da renda familiar. “O benefício tem nos ajudado bastante, pois posso pegar vários alimentos e isso já economiza na despesa de casa. Foi o que eu fiz hoje: comprei leite, biscoito, café e outros”, disse. Sua mãe, Sandra Santos, também reconhece a importância do benefício. “É uma grande ajuda, pois ultimamente o gás está caro, as contas estão altas e, mais uma vez, este valor de R$ 55 veio em uma boa hora”, comentou.

O estudante Israel Ribeiro Santos, 17, 1º ano, do Colégio Estadual Félix Mendonça, assim que soube da liberação do valor foi realizar suas compras em um mercadinho local. “Esses alimentos adquiridos com o vale vão ajudar muito na despesa da minha casa, pois o meu pai ganha pouco e, às vezes, a feira que ele faz acaba rápido. Então, isso vai ajudar muito para complementar a nossa alimentação”, contou.

Os irmãos Ana Luiza Rodrigues, 16, e Luís Fabiano Rodrigues, 17, que cursam, respectivamente, o 2º e 3º ano no Colégio Polivalente de Itajuípe, no município de Itajuípe, também já fizeram as compras. “Foi muito bom receber esta parcela agora, pois fizemos uma compra com R$ 110, somando o valor dos nossos dois cartões, e que vai servir para toda a nossa família”, disse Ana Luiza. Luís Fabiano também celebrou a compra realizada. “Deu para comprar muita coisa que a gente gosta, como leite, suco, biscoito, tapioca e outros alimentos que já estávamos precisando”, afirmou.

O vale-alimentação é destinado, exclusivamente, para a compra de gêneros alimentícios, como feijão, arroz, macarrão, carne, frango, frutas, verduras, café e leite. Em caso de dúvida, o estudante deve entrar em contato com a escola onde está matriculado ou pelos canais da Ouvidoria (0800 284 0011 e e-mail ouvidoria@educacao.ba.gov).

Outras políticas de assistência estudantil

Além do vale-alimentação, o Governo da Bahia investe em mais dois programas de assistência estudantil, que somam mais de R$ 410 milhões, em 2021. Com o Programa Mais Estudo, bolsas de R$ 100 serão concedidas para 52 mil estudantes, que darão monitoria em Língua Portuguesa, Matemática e Educação Científica aos colegas.

O outro programa é o Bolsa Presença, que concederá R$ 150 reais para cada família de baixa renda, cadastrada no CaD Único e com filhos na rede estadual. O objetivo do Bolsa Presença é assegurar a permanência dos estudantes nas escolas, evitar o abandono e fortalecer o vínculo com a escola.

Foto: divulgação

Estudantes de toda a Bahia realizam compras com o vale-alimentação estudantil

Com a quinta parcela do vale alimentação estudantil no valor de R$ 55, por estudante, os 800 mil estudantes da rede estadual já estão realizando as suas compras de alimentos nos mais de 20 mil estabelecimentos, como supermercados, mercadinhos de bairros e padarias credenciados na rede Alelo, nos 417 municípios da Bahia, distritos e povoados. A iniciativa visa reforçar a segurança alimentar dos estudantes e de suas famílias. Nesta etapa, foram disponibilizados mais R$ 44 milhões que, junto com as demais parcelas, somam o investimento de R$ 200 milhões de recursos próprios do Governo do Estado.

Segundo a estudante Bruna Santos, 16, 1º ano, do Colégio Estadual de Jequié, em Jequié, as parcelas do vale-alimentação têm servido como complemento da renda familiar. “O benefício tem nos ajudado bastante, pois posso pegar vários alimentos e isso já economiza na despesa de casa. Foi o que eu fiz hoje: comprei leite, biscoito, café e outros”, disse. Sua mãe, Sandra Santos, também reconhece a importância do benefício. “É uma grande ajuda, pois ultimamente o gás está caro, as contas estão altas e, mais uma vez, este valor de R$ 55 veio em uma boa hora”, comentou.

O estudante Israel Ribeiro Santos, 17, 1º ano, do Colégio Estadual Félix Mendonça, assim que soube da liberação do valor foi realizar suas compras em um mercadinho local. “Esses alimentos adquiridos com o vale vão ajudar muito na despesa da minha casa, pois o meu pai ganha pouco e, às vezes, a feira que ele faz acaba rápido. Então, isso vai ajudar muito para complementar a nossa alimentação”, contou.

Os irmãos Ana Luiza Rodrigues, 16, e Luís Fabiano Rodrigues, 17, que cursam, respectivamente, o 2º e 3º ano no Colégio Polivalente de Itajuípe, no município de Itajuípe, também já fizeram as compras. “Foi muito bom receber esta parcela agora, pois fizemos uma compra com R$ 110, somando o valor dos nossos dois cartões, e que vai servir para toda a nossa família”, disse Ana Luiza. Luís Fabiano também celebrou a compra realizada. “Deu para comprar muita coisa que a gente gosta, como leite, suco, biscoito, tapioca e outros alimentos que já estávamos precisando”, afirmou.

O vale-alimentação é destinado, exclusivamente, para a compra de gêneros alimentícios, como feijão, arroz, macarrão, carne, frango, frutas, verduras, café e leite. Em caso de dúvida, o estudante deve entrar em contato com a escola onde está matriculado ou pelos canais da Ouvidoria (0800 284 0011 e e-mail ouvidoria@educacao.ba.gov).

Outras políticas de assistência estudantil

Além do vale-alimentação, o Governo da Bahia investe em mais dois programas de assistência estudantil, que somam mais de R$ 410 milhões, em 2021. Com o Programa Mais Estudo, bolsas de R$ 100 serão concedidas para 52 mil estudantes, que darão monitoria em Língua Portuguesa, Matemática e Educação Científica aos colegas.

O outro programa é o Bolsa Presença, que concederá R$ 150 reais para cada família de baixa renda, cadastrada no CaD Único e com filhos na rede estadual. O objetivo do Bolsa Presença é assegurar a permanência dos estudantes nas escolas, evitar o abandono e fortalecer o vínculo com a escola.

Foto: Divulgação